domingo, 12 de julho de 2009

capítulo 17

Este capítulo é dedicado à minha tia, que faz anos hoje.

Zac: Tudo bem…

Van: Demi, podes vir comigo lá a cima, por favor?

Demi: Claro!

Elas lá foram para o quarto de Van.

Demi: Que se passa?

Van: Queria te pedir um favor…

Demi: O quê?!

Van: Caso aconteça alguma coisa comigo ou com o Zac…

Demi: Não vai acontecer nada!

Van: Deixa-me acabar! Caso aconteça alguma coisa, eu quero que me prometas que foges com o meu bebé para um país distante, longe de todas as pessoas que conheces ou conhecem o Mateus e crias a criança como se fosse teu filho. Como a minha madrinha não tinha família deixou-me uma boa conta bancária, antes de morrer, e com o dinheiro que os meus pais depositaram na minha conta, por causa da venda da casa onde eu vivia com o Mateus, para a criança, há dinheiro que chegue para tu e o meu filho viverem sossegados.

Demi: Mas eu…

Van: A minha madrinha tem uma casa na Austrália. Vai para lá.

Demi: Mas…

Van: Por favor! Promete-me que se o plano não der certo e se eu morrer ou ficar prisioneira, pegas no meu filho e somes da vista de todos.

Demi: E o Zac?

Van: Ele entenderá. Aliás, ele ficará demasiado preocupado comigo.

Demi: Ele virá atrás da criança…

Van: Nesse caso pegas na criança e no Zac e vais para a Austrália, igual. Por favor, promete…

Van começou a chorar e Demi limpou-lhe as lágrimas e disse: Eu prometo. Agora descansa.

Van deitou-se na cama e Demi sentou-se numa cadeira ao seu lado e começou a cantar uma canção de dormir para bebés. Quando Van estava quase a adormecer, alguém bate à porta e entra.

Van: Miley, Nick, passou-se alguma coisa?

Miley: Não, é que como eu e o Nick temos um avião daqui a duas horas para Paris, nós viemos nos despedir de ti.

Van: Para Paris?! Mas não iam o Jared e a Ash?

Miley: Sim, mas como eu e o Nick já tínhamos as passagens, nós vamos hoje arranjar uma casa, com quartos suficientes e essa treta toda e começamos a decora-la e para a semana o Jared e a Ash vão nos ajudar, que vai ser um dia depois da vossa tramóia, e no mesmo dia tu, a Demi, o Zac, o Joe e a criança que estás à espera vão para Portugal, depois quando estiver tudo pronto, vão para Paris e nós (eu, Ash, Nick e Jared) voltamos para cá.

Van: Obrigada por tudo…

Miley: Não tens nada que agradecer. Xau. Até daqui a algumas semanas.

Van e Demi despedem-se deles e Miley parte com Nick para Paris, enquanto Jared e Zac tentam arranjar maneira de falar com o Mateus.

Jared: Eu acho que a Demi podia ajudar.

Zac: Como?

Jared: Ela e o Mateus sempre foram amigos. Não sei… pedimos-lhe ajuda… ele sempre entra em contacto com ela, nem que seja para dizer “oi, não te preocupes comigo, está tudo bem.”

Joe: Porquê?! Digo… lhe telefona?

Jared: Apesar de tudo, o Mateus vê na Demi uma pessoa amiga… Ele nunca se abre com ninguém e apesar de ele saber que a Demi não gosta da atitude dele, ele continua a procura-la… a única pessoa a quem o Mateus se arrepende de maltratar e pede desculpas é a Demi e ela sempre o perdoa, por mais que ele erre.

Joe: Mas, não entendo…

Jared: Entende… a Demi… aconteceu uma coisa na vida dela que a traumatizou bastante… ela parece estar melhor, mas eu ouço-a a chorar todas as noites, no quarto, sozinha. Quando ela nos contou… o que se passava, ninguém acreditou... só o Mateus é que a ajudou e isso fica na memória e mais importante… fica no coração… Eu sei que ela ainda sofre, ainda mais agora que não tem o apoio do Mateus… eles praticamente são unha com carne, apesar das atitudes erradas dele. Eu lembro-me de uma vez… a 1ª vez que o Mateus se embebedou… foi à 5 anos atrás… Ele tinha ido a um bar e ouve uma aposta que ele fizera com uns amigos. Ver quem conseguia beber mais em 1 minuto. O Mateus lançou-se à bebida e no fim da aposta ganhou, mas ele queria mais e mais, até que a Demi se fartou e pegou nele, levando-o para casa. No inicio ele não queria ir, mas ela disse que os pais tinham umas garrafas do melhor licor do país e ele lá foi. Quando chegaram, a Demi convenceu-o a tomar um banho gelado, mas como a bebedeira era tanta, ela forçou-o a beber um café bem forte e comer coisas doces, mas ele não quis. Ela não desistiu, aliás ela nunca desiste, e ele enervou-se com ela, dando-lhe um estalo forte, fazendo-a cair da varanda de casa, ou seja, do 3º andar. Ela ficou internada com uma perna e um braço partidos e ele pediu-lhe desculpas, de joelhos e a chorar. Nunca o tinha visto chorar. Era a 1ª vez que o fazia. Mesmo ele lhe batendo e trata-la mal enquanto bêbedo, ela o perdoava, porque quando ele estava bem, ele se preocupava com ela.

Joe: Ele batia-lhe e ela perdoava-o? Não apresentava queixa nem nada?

Jared: Ela nunca o fez.

Joe: Mas…

Jared: Como já tinha dito, eu acho que é pelo facto de ele ter sido a única pessoa que acreditou nela e a ajudou. Também ele está a ajuda-la a encontrar os pais verdadeiros. A Demi nunca se abre com as pessoas desde o ocorrido. Isola-se no seu mundo onde só entra o Mateus e a Van e muito raramente eu.

Joe: O que aconteceu com ela foi tão grave assim?

Jared: Para ela foi trágico. É raro não acordar de noite aos gritos a chamar pelo Mateus. Até dá dó… Ela é forte, mas essa é a única altura mais vulnerável dela… Quando sonha.

Joe: Mas o que aconteceu?

Jared: Isso só ela poderá dizer.

E dito isto foi para o quarto da Van, onde ela dormia normalmente, a abraçou a Demi, que chorava silenciosamente, abraçada à fotografia do Mateus, com o telemóvel à beira, à espera de um telefonema anónimo dele, para dizer que estava bem…


Dentro de poucos capítulos vocês saberam o que aconteceu com a Demi para estar tão ligada com o Mateus. Queria pedir desculpas, já que que demorei muito para postar... Porfavor... vão ao saite do fanpire e comentem... fiquem bem e bju gande, Lila.

2 comentários:

  1. maneiro estah magnfico muito bom mesmooooo eu to meio encanada coma demi bjss

    ResponderEliminar